Da Brava a José Ignacio

Quando se decide ficar tão pouco tempo em uma cidade quanto eu fiquei em Punta – um pouco menos de 3 dias – a torcida pelo tempo bom tem que ser intensa. Nós começamos mal, com um temporal na primeira noite; na manhã seguinte, o tempo ainda estava meio esquisito – e aí, haja imaginação pra conseguir ver como seria aquele lugar com um belo céu azul…😉 Por outro lado, o tempo meio nublado convida a procurar no local uma beleza diferente da que estamos acostumados a ver nas praias ensolaradas. Vale o exercício poético – e, se não funcionar, a gente sempre pode brincar de mudar a realidade no Photoshop!

Seguimos pela orla da Brava em direção a La Barra e José Ignacio. É muito interessante notar que, a partir de uma certa altura, a Brava vai ficando mais e mais deserta, só se vê um ou outro condomínio à beira-mar.  Bem no finalzinho, já próximo à ponte para La Barra, a paisagem meio desolada já não tem o glamour que se associa à Punta:

parada33.jpg

A ponte para La Barra é uma atração por si só – amei as linhas curvas, o inusitado de uma ponte com “corcovas”:

ponte.jpg

José Ignacio é um recanto tranqüilo, de uma rusticidade que me pareceu bem elegante – ou seriam os meus olhos? Simpatizei com o lugar imediatamente, e de graça! Mas, fotos mesmo, só consegui do Farol e da praia, antes que um novo temporal me afugentasse de lá rapidinho…😉 É por essas e outras que não basta ir a um lugar uma única vez – é preciso voltar!!!

farol.jpg

joseignacio.jpg

15 Respostas to “Da Brava a José Ignacio”

  1. Rodrigo Says:

    Carla,

    Quanto a BH, as dicas dependem muito do seu estilo de viagem. Nas sugestões da comunidade do VNV tem desde o Top de BH (Taste a Vin) até nível médio.

    Um coisa eu tenho certeza, o mineiro é a pior opção para indicar restaurante de comida mineira. Agente vai gosta mais ou menos, mas sempre acredita que a melhor comida está na casa do parente do interior ou daquela empregada de forno e fogão da nossa infância…

    Mas o Xapuri, que o Hugo citou é o mais famoso deles, mas também é o mais distante do centro.

  2. Leandro Says:

    Oi, resolvi dar um pulinho, muito bom, mas queria saber se alguém ja viu ou conhece quem tenha visto mar “azul” em Punta del Este, pois nunca ouvi falar, só mesmo na foto da propaganda de divulgação que pode ser alterada, mesmo assim gostaria muito de conhecer a cidade, até porque Brasileiro nenhum vi à Punta por causa de praia, não é mesmo?

  3. Carla Says:

    Rodrigo, desse mal eu também sofro…😉 Explico: embora eu seja carioca legítima, meus pais são mineiros, e minha mãe e minhas tias se enquadram bem mesmo na expressão “cozinheiras de mão cheia”… A gente sempre acaba achando que a comidinha mais gostosa é a de casa! Mesmo assim, fiquei na curiosidade pra conhecer o Xapuri – vale o passeio em um dia que o congresso estiver meio chato…😀

    Leandro, sabe que eu teria me conformado mais com o mar não muito azul se ao menos o céu não estivesse tão cinza… Mas é como você disse, a gente não vai a Punta por causa de praia, e nem tem a ilusão de que lá elas seriam mais bonitas do que o produto nacional!

  4. Arthur Says:

    Engraçado, não sei se depende do ano, mas no Google Earth o mar é marrom na parte oeste (justamente para o Rio da Prata). A partir do cabo, na “esquina” do Uruguai, o mar parece mais azul-escuro.
    Carla, ainda sobre BH, no livro Roteiros do Sabor Brasileiro, falam muito bem do Xapuri (Pampulha) e do boteco Casa Cheia, no mercado central.

  5. Carla Says:

    Arthur, na “vida real” eu notei essa diferença de cor da água também – a parte da Mansa, que ainda pega o rio, é mais escura do que a parte da Brava. Imagino que vendo a Brava de cima ela deva mesmo ficar mais pro azul (vou dar uma olhada no Google Earth depois também!), mas na hora em que as ondas quebram, não tem jeito – é cor de doce de leite mesmo…

  6. Guilherme Says:

    Carla!

    Avise quando estiver chegando em BH!

    ; )

  7. Guilherme Says:

    Carla!

    Avise quando estiver chegando em BH!

    Em tempo: Que congresso é este?

    ; )

  8. Carla Says:

    Guilherme, o congresso a que eu vou é o da ABRAPUI (Associação Brasileira dos Professores Universitários de Inglês), que vai de 3 a 6 de junho na Faculdade de Letras da UFMG. Pode deixar que eu aviso, sim – quem sabe não rola um encontro com o pessoal de BH, né?

  9. Na carona dos amigos « Viaje na Viagem Says:

    […] A Carla continua perseguida pelo mau tempo em Punta — agora, em José Ignacio.  […]

  10. Carmen Says:

    Carla, ¿conoces Cabo Polonio? no sé quién habló muy bien de ese lugar que está en Uruguai.

  11. Carla Says:

    Carmen, infelizmente não conheço Cabo Polonio… Um dia pretendo voltar ao Uruguai e dedicar mais tempo ao “vizinho” – então quero visitar Cabo Polonio (dizem que é a Jericoacoara uruguaia, mas pode ser exagero…), a região vinícola de Canelones e Carmelo, além de rever o que já conheço!

  12. tattou Says:

    Desculpa, mas como tu dizes isto!? Não existe parte deserta entre a Barra e a Peninsula. Acredito que tenhas ido no invero, unica explicação. Não estamos falando da invasão humana que ocorre nas praias do Rio, mas nos meses de Dezembro a Fevereiro todas os paradoros ( poderiamos comparar aos postos cariocas) têm moradores. Na Barra as Medias Lunas Calentitas merecem uma visita, são bem na entrada e oferecem medias lunas e outros itens de patisserie maravilhosos, ainda mais num dia de chuva com seus inúmeros cafés diferenciados e decoração única. Um pouco antes de chegar a Barra, temos o Hotel San Rafael que no passado foi muito famoso por seus majestuosos bailes de carnaval, hoje oferece um restaurante onde servem waffles maravilhosos. Sem contar as lojas de estilistas hypes uruguais e argentinas espalhadas por toda Barra, aos finais de semana feiras de antiquarios. Para “nosostros” bom preço e muito om gosto, na maioria das peças, repito na MAIORIA, não em todas.

  13. tattou Says:

    Completando…
    Mares azuis em Punta existem sim, se procurares na época de ano e no lugar certo … No verão no lado da Brava, encontras mar azul. E o produto nacional ??? Desculpa mais uma vez mas o balneario eleito por varios artistas e celebridades (internacionais, não brasileiros) é este, onde mais teriam tanta beleza, hopitalidade e poucos paparazzis ??? Se eles que tem o mundo inteiro para percorrer escolham este balneario no aos balnearios nacionais, acredito que outros comentários são dispensados.

  14. Carla Says:

    Tattou, eu conto apenas o que viram os meus olhos…😉 Não tenho a menor pretensão de escrever um guia e esgotar o assunto “Punta” – conto apenas a experiência que vivi lá nos dias em que visitei a cidade (em fevereiro deste ano) e quando, infelizmente, o tempo não estava bom…😦

    Eu nunca disse, por exemplo, que a praia entre a Península e a Barra é “deserta”, e sim que ela vai ficando “mais deserta” – há menos casas, menos comércio, menos tudo em relação à Península – ou seja, é um conceito relativo, uma questão de comparação. Nunca disse também que não existem mares azuis em Punta… Disse, sim, e confirmo, que EU não os vi – infelizmente, posso acrescentar…😉

    Releia o post com cuidado, é tudo uma questão de interpretação de texto!

  15. Carla Says:

    Queridos, este blog foi desativado e está fechado para comentários. Todos os posts e respectivos comentários foram transferidos para a nova casa do Idas & Vindas, em http://www.idasevindas.com.br . Aguardo lá a sua visita!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: