Uma noite no Utama

Não sei se é o restaurante mais alto do mundo – não sei nem mesmo se é o mais alto de La Paz… Mas, ao se tomar o elevador panorâmico para chegar ao Utama, o restaurante no último andar do Hotel Plaza, no centro da cidade, a impressão que se tem é que se está, sim, a caminho do topo do mundo…

A vista é espetacular – pelas vidraças do restaurante vê-se a principal avenida da cidade, El Prado, toda iluminada:

Mas as luzes não estão apenas abaixo, no centro da cidade… Ao contrário, as luzes de El Alto se estendem para cima até onde a visão pode alcançar, em um lindo efeito de claro/escuro que, diga-se de passagem, se assemelha muito à visão das favelas cariocas à noite – quem já passou por São Conrado e viu a Rocinha toda iluminada como uma imensa árvore de Natal sabe do que eu estou falando…

Pelo que pude perceber, o Utama é freqüentado basicamente por estrangeiros de passagem por La Paz – não me pareceram bolivianos os ocupantes das outras mesas… 😉 Na Bolívia, assim como no Peru, em outros países da América Latina e, claro, aqui no nosso Brasil, um restaurante como esse (considerado em alguns sites o melhor de La Paz) está muito além do alcance do bolso da maior parte dos habitantes da cidade…

Apesar disso, para nós, brasileiros, os custos de La Paz são uma festa! O táxi do Hotel Columbus ao Plaza, uma corrida de cerca de 15 minutos, nos custou o equivalente a míseros R$ 6,00. E o nosso jantar, absolutamente delicioso – pãezinhos caseiros de entrada, lagostins com legumes ao vapor e torta de limão de sobremesa, tudo de comer rezando! – saiu por volta de R$ 23,00 por pessoa. É certo que estávamos evitando o vinho, por causa da altitude, mas ele não teria inflacionado muito a nossa conta, não… 😉

Anúncios

16 Respostas to “Uma noite no Utama”

  1. Rosa Says:

    Carla, vai ser difícil esperar até julho/2008. Quem passa por aqui fica com água na boca. Imagino o que ainda vai vir…

  2. Carla Says:

    Rosa, e olha que eu nem postei a tortinha de limão… 😉

  3. Mari Campos Says:

    Carla, por essas fotos, não parece nada kitsch o restaurante, não… 😉
    A vista deve ser maravilhosa – e, please, nem poste essa tortinha de limão que eu não tô podendo…. Já me basta o sofrimento que me causam os meninos Destemperados…

  4. Carla Says:

    Pois é, Mari, eu fiquei pensando se eles não reformaram o restaurante depois que a Emília esteve por lá… Vamos ver o que ela comenta quando vir as fotos!

    Tem certeza que você não quer ver a tortinha? Olha lá, hein? 😀

  5. Ernesto Says:

    Parece um destino interessante, e barato! Estamos gostando dos posts, e das dicas. Voce teve alugm problema com “golpinhos”, furtos, etc?

  6. Carla Says:

    Não tive nenhum problema, não, Ernesto. Tinham me prevenido a respeito, e fiquei bem atenta, mas realmente não aconteceu nada…

  7. Emília Says:

    É Carla, é ele mesmo! Eu não tinha gostado do neon 😀 Me desculpe se ofendi 😳
    Mas o restaurante é muito aconchegante…e a comida muito boa. Foi uma ótima surpresa, pois tínhamos chegado no começo da noite e esperávamos uma dor de cabeça como recepção.
    Não só não tivemos (assim que subimos ao quarto a camareira já chegou, em menos de cinco minutos, com o chá de coca), como subimos para comer e pudemos aproveitar bem a primeira noite.
    A vista é muito impressionante e fica ainda mais quando se vê a vista de dia…as casas são, a maioria, de uma cor ocre, parecem um pouco mimetizadas junto às paredes da ‘cratera’.

  8. Carla Says:

    Emília, o neon é over mesmo… 😆 Mas depois de um dia inteiro perambulando pelas cores de La Paz, sabe que eu nem notei? 😉 E o jantar foi mesmo uma delícia!!! Aliás, a comida na Bolívia me surpreendeu – achei leve e delicada, e estava esperando o oposto…

  9. Diogo Says:

    Adorei a dica e as fotos!

    Bjos

  10. Carmen Says:

    Carla,

    Te he enviado un comentario sobre las luces y la comida, pero como por arte de magia ha desaparecido.

    Esperaré a que aparezca y si no lo hace te enviaré otro comentario.

    Tchau.

  11. Carmen Says:

    Carla,
    Te envio lo que pienso sobre las luces.
    Si la luz es de neón, o fluorescente, o blanca no tiene importancia si la comida es buena, maravillosa…en cambio una luz tenue, o con velas no puede mejorar un plato incomible.

    Cené un día en el Hotel de Ocaporá y me pasó esto: la luz cálida no podía ocultar un plato precongelado y horrible, hasta con los ojos cerrados la comida era pésima.

    Así que prefiero una buena comida que una buena luz, aunque la luz sea muy importante!!!

  12. Carla Says:

    Diogo, nessa viagem eu procurei não esquecer de fazer as fotos dos pratos – andei aprendendo com vocês… 😉

    Carmen, eu concordo totalmente! Quando a comida é gostosa, o ambiente pode até não ser perfeito… Mas como ajuda ter um lugar bonito, e uma luz cálida quando a comida é ruim… 😆

  13. Majô Says:

    Que camarões lindos, hem !!
    Você tem razão, as favelas no morro à noite têm um efeito árvore de Natal, Vidigal vista de Ipanema ou Leblon à noite é linda 😉

  14. GiraMundo com Jorge Bernardes Says:

    Carla,

    Vc está ficando mestre em “Terraços Itália” mundo afora 🙂

  15. Carla Says:

    Jorge, não é que é isso mesmo… 😆

  16. Carla Says:

    Queridos, este blog foi desativado e está fechado para comentários. Todos os posts e respectivos comentários foram transferidos para a nova casa do Idas & Vindas, em http://www.idasevindas.com.br . Aguardo lá a sua visita!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: