Hotel Terra Andina

Faz algum tempo, ainda na era pré-Internet, o meu critério quando eu escolhia um hotel para me hospedar era muito simples. Eu fazia uma pergunta básica: cabe no meu bolso?😉 A segunda pergunta era: é bem localizado? Se as duas respostas fossem afirmativas, o hotel estava aprovado. Se apenas a segunda fosse negativa, muitas vezes o hotel acabava sendo aprovado também – afinal, ônibus, metrô e canelinhas estão aí pra isso mesmo… Mas como os guias impressos trazem as descrições apenas, sem fotos dos hotéis, e como o Trip Advisor ainda nem sonhava existir, muitas vezes o hotel “escolhido” era uma roubada daquelas…😆

No meio das roubadas, volta e meia aparecia um hotelzinho lindo, ou aquele B&B cheio de charme, que a gente passava a recomendar aos amigos… Quando a Internet se tornou um meio comum de pesquisar e reservar hospedagem antes de viajar, estava aberto o caminho para aumentar (e muito!!!) a margem de acerto dessas escolhas. (Para quem estiver interessado em mais detalhes, a Sylvia ensinou o caminho das pedras com detalhes no antigo VnV do WordPress).

Ultimamente, a pergunta básica continua sendo a mesma, mas várias outras passaram a ser muito importantes. Eu considero fundamental que um hotel seja bem localizado – e isso nem sempre quer dizer que ele fica no meio de tudo – muitas vezes, ele fica em um bairro mais tranqüilo, mas de fácil acesso às atrações. Também acho importantíssimo que o próprio ambiente do hotel seja agradável – se for bonito e bem decorado, então! E eu gosto muito de ambientes amplos, então costumo adorar aqueles hotéis antigos, que fazem pensar em mil histórias de outros tempos…

Pois bem: o meu xodó nessa viagem ao Peru foi o hotel em que nos hospedamos em Cuzco, o Terra Andina, esse mesmo da foto aí embaixo:

img_1452.jpg

O Terra Andina não foi a minha primeira opção em Cuzco. Há muito tempo eu guardava nos meus arquivos uma referência ao Hotel Ruinas, que era a minha primeira escolha na cidade. Ao longo das pesquisas, me encantei também com o Hotel Picoaga. Era uma decisão difícil, e também importante – Cuzco era a cidade onde passaríamos mais tempo, 4 noites no total, e a que tinha os hotéis mais caros e concorridos. Não dava pra errar…🙄

No fim das contas, o “bolso” decidiu por mim… Encontrei uma promoção no site da Go 2 Peru, e resolvi os hotéis de Puno, Cuzco e Lima de uma tacada só. De acordo com essa promoção, alguns hotéis ofereciam descontos bárbaros, que podiam chegar até a 45%, desde que pagos com antecedência no cartão de crédito Visa. Foi aí que vi a diária do Terra Andina a US$ 65.00, quando o normal era vê-lo nos outros consolidadores a cerca de US$80.00, a mesma faixa do Ruinas e do Picoaga, um pouco mais caros, por volta de US$ 90.00, US$ 100.00.

A princípio pode até parecer uma economia boba, afinal cada uma de nós economizou US$ 30.00 pelas 4 noites de hospedagem. Mas basta pensar que esses US$ 30.00 já fizeram uma das noites sair praticamente de graça, ou que foram suficientes para custear quase toda a nossa alimentação nos dias em que passamos na cidade que a gente tem uma nova dimensão do que significam US$ 30.00 a mais para gastar no Peru…😉

Não cheguei a visitar os outros hotéis – até gostaria de ter ido, mas não lembrei disso enquanto estávamos lá. De qualquer modo, eu não tinha nem motivo para xeretar outro hotel… A nossa chegada ao Terra Andina já mostrou de cara a qualidade que teria a nossa estada – nossas malas foram levadas para o quarto enquanto preenchíamos as nossas fichas confortavelmente instaladas nas poltronas, saboreando um matecito de coca. Ah, essa área do hotel é toda servida por Internet wireless e o computador que aparece na foto é para uso dos hóspedes – de graça! 8)

img_1455.jpg

Uma das características que eu buscava no hotel onde fosse me hospedar em Cuzco era esse átrio, que é uma característica marcante da colonização espanhola. No caso do Terra Andina, o átrio é o restaurante do hotel, onde é servido o café da manhã. Por esse motivo, não é uma boa idéia ficar em um quarto que dê janelas para essa parte interna… Afinal, todos os dias há hóspedes de partida para Machu Picchu, e o trem deixa Cuzco às 06:00 h da manhã – dá pra imaginar a que horas começa o movimento no restaurante, né?

img_1457.jpg

O nosso quarto ficava no andar de cima, na parte dos fundos – até dava pra ouvir um pouco do movimento, mas nada que chegasse a atrapalhar o sono, não… E o quarto era excelente, bem confortável e aconchegante. Não era tão grande, o espaço para as malas era um pouco restrito, mas tínhamos um ótimo armário…

img_1204.jpg

img_1205.jpg

E o melhor de tudo é que o nosso banheiro era ESPETACULAR!!! Além de branquíssimo e limpíssimo, era imenso, confortável e bem aquecido – maravilhoso a ponto de merecer duas fotos no blog, o que deve ser uma honra para qualquer banheiro!!!😆

img_1206.jpg

img_1207.jpg

28 Respostas to “Hotel Terra Andina”

  1. Rosa Bsb Says:

    Carla, estou acompanho tim tim por tim tim, já sonho com essa viagem. Penso como você sobre hotéis: cus$o, localização, conforto, bom espaço, agradabilidade, não precisa de 4, 5 estrelas, afinal a diferença $$$ pode representar mais passeios e melhores restaurantes. Mas é importante se sentir em um ambiente aconchegante. Como não frequento os estrelados, sempre acho que nos mais simples, nos sentimos mais confortáveis.
    Gosto de como você mostra o lado prático, sem perder a ternura.

  2. Carla Says:

    O importante é fazer o melhor possível com o orçamento de que dispomos, não é, Rosa?😉

  3. Mari Campos Says:

    Carlitcha, amei o post! Tô anotando tudinho da sua viagem, porque o Peru tá nos meus planíssimos para este ano! Continue, plissss. bjs

  4. Rosa Bsb Says:

    Carla, estava planejando ir em julho, mas não vou poder. Você sabe se final de setembro e início de outubro seria uma boa época? Quero usar umas milhas TAM que vencem em dezembro.

  5. Camila Says:

    Carla, não me faça apaixonar por mais nenhum hotel! Como no Peru os passeios são mais caros que na Bolívia, lá pretendo economizar mais nos hotéis. Adorei o átrio! Deve ser uma delícia tomar o café da manhã nele!

  6. Emília Says:

    Carla, me pareceu um ótimo custo-benefício. Aliás, eu também tento seguir os mesmos critérios. Eu prefiro reservar o orçamento para fazer todos os passeios que quero e comer em bons restaurantes, mas se o hotel tiver um bom preço e um certo charme, já ajuda (sem falar na limpeza, claro!)😀
    Rosa, eu fui em outubro e peguei ótimo tempo (com exceção do terceiro dia da Trilha Inca, o que foi fatal para o meu pobre joelho, chuva e escadas de pedra não combinam). Mas foi o único dia, em 13 que fiquei por lá.

  7. Rosa Bsb Says:

    Valeu Emília. Adoro chuva, mas quando estou passeando, nem pensar. Afinal, a gente tem que bater muita perna. Já me animei pra ir nessa época.

  8. Carla Says:

    Mari, tenho planos de postar loucamente até concluir essa viagem – não quero levar essas pendências pros States, não… Lá eu quero blogar ao vivo!!!😉

    Rosa, eu já desconfiava que outubro seria uma boa época, sim. Sei que não é bom ir no verão, que é a época mais chuvosa.

    Camila, não deixe de visitar o site da Go 2 Peru. Eles tinham os melhores valores em hotéis e você pode escolher os seus por faixa de preço!

    Emília, o custo-benefício é tudo, né? Em uma viagem com orçamento limitado, o principal é que o hotel ofereça limpeza e bom preço – todo o charme que vier embutido é lucro!!!😆

  9. Ernesto Says:

    Carla

    Otima dica! Valeu!

  10. GiraMundo com Jorge Bernardes Says:

    Hoje em dia é mesmo muito difícil errar na escolha do hotel. É tão mais fácil. Eu me lembro da primeira viagem à Europa em que a gente embarcou sem ter NENHUM hotel reservado. Um crime!
    PARABÉNS pela conquista da bolsa mais uma vez.

  11. Carla Says:

    Jorge, pelo menos havia o consolo de que quase todo mundo fazia isso, então a chance de conseguir um hotel razoável por um preço também razoável era bem maior… Hoje em dia não tenho mais coragem de ir nem até a esquina sem reservar!😀

  12. Lorena Alves - BSB Says:

    Olá Carla!
    Amei o seu blog, está me ajudando mto, pois estou planejando uma viagem de mochilão em abril com a minha irmã para Buenos Aires, Colônia, Montevideo e Punta, durante 10 dias.
    Gostaria de fazer algumas perguntinhas, posso?!!?
    Você acha que vamos gastar mais de mil reais cada uma, durante essa viagem? Iremos economizar no que for possível!
    Vale a pena ir até Punta nessa época (outono)? Ou seria melhor eu mudar meu roteiro e ir para Bariloche.

    Vou ficar de olho aqui no blog, mas se vc tb puder me responder por email, agradeço!!!
    Bjim

  13. Rodrigo Cunha Says:

    Olá Carla. Gostei bastante do seu blog. Como faço para entrar em contato com você? Tenho algumas considerações e sugestões.

    Meu e-mail é: rodrigo@riot.com.br

    Fico no aguardo de um contato.

    Grande Abraço!

  14. Carla Says:

    Rodrigo, pode me escrever para carla ponto portilho arroba gmail ponto com.

    Lorena, você pergunta se vão gastar mais de R$ 1000 incluindo a passagem ou essa conta é apenas para hospedagem, transporte local e alimentação? Sem incluir a passagem, eu acho que vocês dão conta, sim, de passar uns 10 dias com cerca de US$ 500 cada uma. Mas vão ter que economizar bastante, hein, meninas?😉

    Sobre Punta no outono… Bom, já não é mais a altíssima temporada, mas acredito que o clima ainda esteja bom. Veja bem, você não vai encontrar lá as altas baladas do verão – por outro lado, os preços também vão ser bem mais camaradas… Não vejo razão para substituir Punta por Bariloche, não – Punta fica bem amarradinha nesse roteiro com Montevidéu e Colonia, vocês vão ver 3 facetas diferentes do Uruguai.

  15. Carla Says:

    Rosa, lembra que você me perguntou sobre o cheesecake em Buenos Aires e eu não lembrava? Acabei de encontrar a referência nos comentários desse post aqui: https://idasevindas.wordpress.com/2007/07/03/rumo-a-recoleta

  16. Lorena Alves - BSB Says:

    Olá Carla!
    Muito obrigada pela atenção, os R$ 1000 serão para hospedagem, transporte local e alimentação. Espero até lá conseguir uma graninha extra😉 para umas comprinhas!
    Acho que vou deixar Bariloche para uma próxima vez, no inverno!
    Quando eu terminar meu roteiro, vou enviar para você dar uma olhadinha.
    Tenha um bom dia!
    Bjim

  17. Rosa Bsb Says:

    Carla, muito obrigada, já está salvo para a próxima ida à BsAs. Você é uma garota nota 10. Lorena, eu segui as dicas da Carla e deu tudo muito certo, só não alugamos carro, foi ônibus mesmo, muito fácil os deslocamentos, e nas cidades foi bater perna e quando o cansaço não deixava, era ônibus mesmo, táxi só em último caso. No quesito comida, se apertar, procura pedir massa, muitas vezes um prato serve duas pessoas. Nos shoppings tem algumas opções de lanche mais em conta também, é só manter sob controle a vontade de comprar, pense que você está lá para passear e pronto, vitrine é sempre uma tentação… No Uruguay eles costumam cobrar o coberto, acho que é assim que escreve, é o nosso couvert, só que você tem que pagar aceitando ou não os pãezinhos que vêem antes da refeição. A sugestão do dia costuma ser sempre mais em conta. Anota no caderninho os deslocamentos de ônibus, de buquebus, para ter uma idéia, no mais aproveita bem que o momento está ótimo. 2 diárias (3 dias e 2 noites) em cada cidade no Uruguai tá de bom tamanho, fechando com 4 diárias em BsAs.

  18. Carla Says:

    Lorena, posta o seu roteirinho aqui que a gente dá uns pitacos!😉

    Complementando o que disse a Rosa, o cubierto nos outros países da América Latina é um pouco diferente do nosso couvert aqui no Brasil. Lá se refere ao próprio serviço de talheres da mesa, ou seja, é como se fosse uma “taxa” que você paga para utilizá-los.

    Uma dica totalmente orçamento apertado em Buenos Aires, mas que não boto em prática há anos, então não sei se continua tão boa… O supermercado COTO, que tem inúmeras filiais na cidade, tem, em algumas delas, um restaurante self-service espetacular. O sistema não é a peso, e sim por porção. Vale a pena investigar. Eu costumava ir no da Avenida Cabildo, em Belgrano, mas acho fora de mão para quem vai turistar…

  19. Goitacá » Mundo de Cidades - Edição Inaugural! Says:

    […] Carla faz um tour pelas dependências do Hotel Terra Andina, em Cuzco, e aproveita para nos dar a dica de qual é a palavra mágica para uma visita […]

  20. Marina Says:

    Carla: vc e o Arthur estão me ajudando muito a planejar nossa viagem à Machu Picchu. Já peguei dicas bárbaras dos dois! Parabéns pelo serviço prestado!!!um abraço

  21. Carla Says:

    O que precisar, Marina, é só perguntar, Ok? Não estou com tempo nem conexão para atualizar o blog, mas estou respondendo às perguntas normalmente, tá?😉

  22. Silvana Says:

    Carla, dezembro é uma boa época para ir para Machu Picchu?

  23. Carla Says:

    Não é, não, Silvana, é época de chuvas. A melhor época para ir a Machu Picchu vai de maio a outubro.

  24. Nico Says:

    Oi Carla,

    Estou planejando viajar ao Peru em junho.

    Estou vendo as tarifas de hotéis e vi a sua dica do Go 2 Peru. Acessando o site deles tenho uma dúvida quanto ao desconto pagando Visa. Os preços que aparecem já estão com aqueles descontos indicados entre parenteses? ou em cima daquele preço é que entra o desconto?

    Se vc puder me ajudar desde já agradeço

  25. Carla Says:

    Nico, quando eu vi os hotéis, os preços que apareciam listados no site já eram os preços finais, com o desconto. Acabei de entrar no site agora e fiquei espantadíssima com os preços dos hotéis, subiram muito nesse último ano!!!

  26. Nico Says:

    Pois é Carla! por isso tive esta dúvida quanto aos preços. Mas fazer o que né? Se as diárias subiram, e se não quisermos um downgrade, o jeito é se adaptar aos novos tempos.

  27. Wanessa Says:

    Nico, tive a mesma surpresa ao pesquisar hotéis no Peru agora para o mês de maio. Os precinhos que a Carla conseguiu, só em albergues! Os custos de viagem mudaram bastante…

    Eu fiz minhas reservas diretamente com os hotéis. Consegui preços menores que no go2peru, mesmo considerando o desconto VISA, e sem pagar aquela taxa de 9,50 que o site cobra. Além disso, não tive que pagar o valor integral no ato da reserva. Fiz o seguinte: peguei o preço encontrado no go2peru ou em outro consolidador (usei o hotelclub.com para pesquisar).

    No hotel de Lima (San Agustin Colonial), não paguei nada na reserva – estou confiando porque troquei muuuitos e-mails com o hotel e pq pertence a uma rede. Ganhei o transfer do aeroporto de Lima para o hotel.

    No de Cuzco (Del Prado Inn), consegui uma tarifa mais barata que a do go2peru e do que a do consolidador (que, por sua vez, já estava com preço inferiro ao go2peru). Nesse caso, tive uma das diárias debitadas no meu cartão Master (o Visa não funcionou, pq o banco emissor do meu cartão não utiliza o sistem Verified by Visa).

    Agora, está faltando somente um hotel em Aguas Calientes, onde ficarei uma noite. Se vc tiver dicas, ainda nao me decidi!

  28. Carla Says:

    Queridos, este blog foi desativado e está fechado para comentários. Todos os posts e respectivos comentários foram transferidos para a nova casa do Idas & Vindas, em http://www.idasevindas.com.br . Aguardo lá a sua visita!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: